Compreensão leitora e suas ferramentas

Compreensão leitora e suas ferramentas

Compreensão leitora e suas ferramentas

Saber como se dá a compreensão leitora e suas ferramentas é importante na preparação de um curso de leitura para fins específicos. O progresso do aluno será medido pela sua capacidade de verdadeiramente compreender o texto nos níveis literal e inferencial e não apenas a capacidade de perceber estruturas sintáticas e gramaticais e vocabulário.

Na mente de um leitor, seja proficiente ou não, a compreensão leitora envolve basicamente dois tipos de conhecimento: declarativo e procedural. Ao conhecimento declarativo, são associados os elementos de letras, fonemas, morfemas, palavras, ideias, esquemas (conhecimento prévio) e assunto do texto.

Já ao conhecimento procedural são incluídos decodificação, compreensão literal, compreensão inferencial e monitormento da compreensão.

Durante a leitura de um texto, o esquema relevante é acionado na compreensão de texto. Por isso, o professor pode auxiliar o aluno levando atividades de pré-leitura.

É interessante notar que, para que a compreensão leitora ocorra, são necessário os processos componenciais de decodificação, compreensão literal e compreensão inferencial.

O que vai acontecer na mente é marcado por, primeiramente, uma decodificação que emparelha a palavra escrita com o que ela significa guardado na mémória. Caso o leitor não faça tal emparelhamento de forma automática, pode haver uma rota alternativa de decodificação.  ( a pronúncia da palavra).

Para muitos autores, a compreensão literal é a seleção pelo significado mais adequado para palavra num determinado contexto e o parseamento é o entendimento da estrutura sintática, percebendo que as palavras estão interligadas para formar a idéia geral.

A compreensão inferencial, sendo um processo de nível mais alto, envolve os subprocessos de integração, sumarização e elaboração. Para entender uma composição como um texto e não palavras soltas, precisam ser feitas inferências que unam as sentenças (integração).

À medida em que a leitura vai prosseguindo, é necessário fazer um resumo mental da parte do texto lida (sumarização) e uma conexão entre a informação que vem do texto e nosso conhecimento prévio (elaboração).

Não podemos fazer com que o estudo de um componente linguístico aja em detrimento de outros. O estudo do vocabulário e da gramática são importantes, mas não são os únicos envolvidos na compreensão do texto como um todo.

O trabalho com o texto tem como foco a compreensão e, por isso, o professor deve prover as ferramentas necessárias para auxiliar os alunos nesse processo.

As estratégias de leitura são essas ferramentas que melhoram a performance tanto em textos estrangeiros quanto em textos da língua nativa.

Deixe uma resposta