Professor é agredido por aluno por causa de celular

Os casos de agressão nas salas de aula brasileiras são cada dia mais assustadores. A frequência das agressões em todas as regiões do país tomam números cada vez maiores, seja no ensino médio ou fundamental. O espaço no qual deveria ser de respeito para com o professor e de aprendizado para o aluno está tornando-se palco do receio dos profissionais da educação e local para a atuação de crianças e adolescentes que acham que podem fazer de tudo. Essa triste história ganhou mais um capítulo na última segunda-feira, em São José do Rio Preto, onde mais um professor foi agredido por um aluno dentro da própria sala de aula.

cadeirasNa manhã da última segunda-feira, 14, na Escola Estadual Bento Abelaira Gomes, localizada no município de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, um professor de sociologia, de 59 anos, ministrava sua aula quando deparou-se com uma falta de respeito que a cada dia torna-se mais comum nas salas de aula: o uso do telefone celular por parte de um aluno. O professor, com sua função de educador, pediu para o aluno que desligasse o celular e que prestasse atenção à aula tal qual faziam os outros alunos, mas o jovem não obedeceu e continuou a realizar o ato. Com isso, o professor pediu para que o aluno se retirasse da sala e o encaminhou para a diretoria, onde seriam tomadas as devidas providências.
postprofesorNo entanto, com pouco tempo após a saída do aluno, esse voltou e começou a ofender o professor com insultos e palavrões, passando para a via física de agressão com uma “voadora” na região lateral do professor, na altura das costelas. Após o golpe, o aluno começou a desferir vários chutes e socos contra o homem já no chão, e só parou por conta dos colegas que seguraram o aluno. Resultado de tudo isso: uma lesão na coluna do professor, a qual o deixou sem poder andar direito e necessitado de cuidados ortopédicos, além do fato de não poder trabalhar e uma suspensão de sete dias para o aluno infrator, o qual pode estar comemorando tal medida, já que não deve desejar ficar nas dependências de uma sala de aula.

violencia-contra-professoresA história revela os traços de uma educação a qual permanece refém da agressividade de alunos e contém o medo de professores para com estudantes que possuem comportamentos problemáticos. Tal caso não é isolado: há inúmeros casos relatados e não relatados de agressões físicas e morais para com educadores, diretores e profissionais de apoio do colégio, bem como de casos de homicídios motivados por retaliações de alunos que se sentem no direito de poder desrespeitar a autoridade do professor em sala de aula e não medem suas consequências dentro e fora do colégio.

bateeducadoresSomente a educação adquirida em casa pode alterar os rumos daqueles que vão às escolas sem o interesse de estudar e poder melhorar a sua vida e de todos que estão ao seu redor. O desinteresse pelas matérias da escola ainda é um triste fato em colégios por todo o Brasil, já que as disciplinas não podem concorrer com o “fantástico” mundo apresentado pelo celular e seus aplicativos. A aula do professor que foi agredido era justamente sobre violência. E é essa violência que continua e impera nas salas de aula brasileiras, a qual impede, de forma absurda, o desenvolvimento do país e a construção de um povo com maior índole e caráter.

Deixe uma resposta